domingo, 20 de janeiro de 2013

domingo, 10 de junho de 2012

Trend Book - por Stephanie Paula

Trabalho da aluna Stephanie Paula, desenvolvido na disciplina Projeto e Pesquisa do curso de Design de Moda do Iesb. Espetacular no conceito e na tradução do tema. A mocinha partiu do diagnóstico de Transtorno de Personalidade Boardeline, distúrbio crescente entre jovens e adolescentes, para construir os incríveis painéis de tendência, enfatizando a dualidade entre a euforia e a depressão. O Transtorno Estado-Limite da Personalidade é definido como um grave transtorno de personalidade caracterizado por desregulação emocional, raciocínio extremista e relações caóticas. Pessoas com personalidade limítrofe podem possuir uma série de sintomas psiquiátricos diversos como humor instável e reativo, problemas com a identidade, assim como sensações de irrealidade e despersonalização. Nessas horas que a gente se sente bem feliz em ser professor!

Um exercício de Alice

Um trabalho escolar. Eis a proposta de um futuro designer para a abertura de Alice no País das Maravilhas! Auge: o fundo que muda de cor e textura em contraste com o desenho preto, usando o princípio Gestalt de positivo e negativo.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

domingo, 27 de maio de 2012

domingo, 29 de abril de 2012

Fotografia - Alex Prager

Reconhecida por apresentar uma linguagem marcante e consistente, a fotógrafa americana Alex Prager inaugura mais uma exposição de suas fotografias. Entitulada “Compulsion”, a mostra acontece de 20 de abril a 25 de maio em Londres, Los Angeles e Nova Iorque simultaneamente. Alex Prager é jovem e autodidata. Aos 31 anos de idade e com apenas dez anos de carreira, a artista já teve suas fotografias figurando em museus e galerias importantes - em 2010 seu trabalho foi apresentado no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque. A curadora do MoMa, Roxana Marcoci, descreve o trabalho de Prager como “intencionalmente carregado”. E acrescenta: “suas fotografias me fazem recordar filmes do cinema mudo, em que existe algo prestes a acontecer. Uma mistura de desejos e angústias.” A mostra “Compulsion” confirma a marca registrada na linguagem de Alex Prager: a inspiração derivada de clássicos do cinema e o ar retrô. Dessa vez, a jovem trouxe referências dos filmes Metropolis, de Fritz Lang, e Um cão Andaluz, de Luis Buñuel e Salvador Dalí. A nova série da artista investiga a complexidade da sociedade invadida por espectadores compulsivos e curiosos. A realidade contemporânea é enfatizada em suas imagens pelas cenas artificalmente construídas e pela multiplicidade de expressões e olhares.